13 agosto 2006

Projeto de Ação Cultural

Ação Cultural TEATRO DAS MEMÓRIAS

PROJETO DE AÇÃO CULTURAL (Extensão Universitária)

TEATRO DAS MEMÓRIAS: entre o passado e o futuro.

APRESENTAÇÃO E JUSTIFICATIVA

Em virtude da expansão econômica observada a partir de meados do século XVIII, a paisagem urbana da cidade de São Luís foi sendo constituída, sobretudo, com significativo número de casarões, solares e sobrados, residências dos ricos comerciantes e proprietários de escravos. Com portas e janelas amplas, adaptadas ao clima equatorial, surgia um portentoso e compacto conjunto arquitetônico, reflexo das riquezas geradas nesse período. Todavia, a partir do século XX, um segmento social, detentor do poder, respirando os ares da modernidade, começou a representar o conjunto arquitetônico ludovicense como empecilho para o seu pleno desenvolvimento. Contudo, os casarões coloniais sobreviveram e ingressaram no século XXI; seu sentido vem sendo ressignificado e sua existência vem se tornando parte constitutiva da noção de uma cidade moderna.
Assim, às vésperas de comemorar 400 anos, duas cidades se contrapõem e se complementam... Uma cidade velha, hoje denominada de Centro Histórico, valorizada pelo seu passado, que garante a São Luís o status simbólico de Patrimônio Cultural da Humanidade, e a cidade moderna que dá suporte a investimentos urbanísticos mais ousados. Em face da proximidade das comemorações quatrocentenárias, urge que a cidade se reencontre com suas histórias, com suas memórias subterrâneas, com os sentidos concorrentes que fazem São Luís ser, ao mesmo tempo, singular e multifacetada.
Nesse contexto, é importante que o cidadão ludovicense conheça sua cidade, recuperando diferentes histórias e sensações. Na área do Centro Histórico de São Luís, especificamente, o projeto Teatro das Memórias, está dando continuidade ao projeto de Educação Patrimonial promovido nessa localidade em 2004, pela 3SR do Iphan (IPHAN – MA), Grupo de Estudos e Pesquisas do Patrimônio e Memória (GEPPM), Núcleo Gestor do Centro Histórico de São Luís (NGCHSL) e União de Moradores do Centro Histórico de São Luís (UMCHSL).
Naquela ocasião, desenvolveu-se um trabalho de pesquisa em acervos fotográficos de famílias dos bairros e organizou-se uma oficina de fotografia e artes plásticas com as crianças residentes nos logradouros. Esta nova ação, iniciada em março de 2006, está sendo realizada através do UMCHSL e coordenado pelo GEPPM, que articula de forma interdisciplinar, com profissionais capacitados e qualificados, a metodologia a ser aplicada em cada etapa do supracitado projeto.
Iniciamos os trabalhos com a oficina Lugares da Memória, voltada para o segmento da terceira idade. Ao longo de uma semana 30 idosos da comunidade compartilharam suas experiências e adquiriram novas, a partir de uma série de atividades como: palestras, oficinas de pintura e atividades lúdicas. O objetivo era aprofundar o alcance das ações de promoção cultural da memória social e do patrimônio cultural do Centro Histórico de São Luís.
Atualmente, o projeto Teatro das Memórias está desenvolvendo seu calendário de atividades com o patrocínio da Companhia Vale do Rio Doce e conta com o apoio de órgãos como IPHAN-MA, SEBRAE, Centro de Educação e Cidadania (CEDUC), Superintendência do Patrimônio Cultural do Estado do Maranhão e Fundação de Patrimônio do Município. As atividades estão sendo desenvolvidas com 44 jovens residentes nos bairros do Desterro, Portinho e Praia Grande, que compõem o Centro Histórico e acontecem nos turnos matutino e vespertino no mezanino do CEDUC, casarão situado no bairro do Desterro.
Cerca de 60% das crianças freqüentadoras do projeto foram participantes do então Projeto de Educação Patrimonial Viver o Desterro, realizado em 2004. Atualmente, esse grupo de crianças e pré-adolescentes carentes da comunidade está conhecendo e participando, de forma mais acurada, da história de sua área de moradia e, por conseguinte, das singularidades que envolvem a própria história de São Luís. Tal encontro está se dando, sobretudo, através da História, da literatura, da poesia, do teatro, do desenho e das artes plásticas. Vale ressaltar: nesse leque metodológico, as vivências das crianças são priorizadas como ponto de partida para o encontro entre antigos / novos conceitos e valores que cercam o passado, o presente e o futuro dessa área singular.
O Grupo de Estudos e Pesquisas do Patrimônio e Memória acredita que para atingir os objetivos propostos é imprescindível que se construa paulatinamente junto ao grupo-receptor um referencial coletivo que recubra um nível mais profundo das relações sociais, condição que exige um trabalho diferenciado, à medida que a estrutura mental é o nível que se move de forma mais lenta na estrutura social. Nesse sentido, as ações não se esgotam em 2006, exigindo continuidade. Portanto, em 2007, o projeto Teatro das Memórias pretende realizar outras ações que dêem suporte para que esses jovens se tornem agentes comunitários e que possam, a longo prazo, nas suas ações cotidianas, dar prosseguimento a esse trabalho de preservação, conservação e valorização do patrimônio cultural do Centro Histórico de São Luís.
Entendemos, também, que o projeto Teatro das Memórias necessita ao longo do ano de 2007 ampliar seu leque de ações. Nesse sentido, pretendemos incluir, de forma mais efetiva, o segmento da terceira idade, promovendo uma interação entre gerações, por acreditar que esse diálogo seja imprescindível no processo de construção e valorização da memória social.
Vale destacar, ainda, que o projeto Teatro das Memórias tem em vista, em longo prazo, participar efetivamente das discussões acerca da construção coletiva do IV Centenário da Fundação de São Luís. Os resultados dessa parceria cultural e artística objetiva preparar e articular os agentes comunitários para a elaboração de um calendário de atividades coletivas, em prol da conservação, preservação e promoção da memória social e do patrimônio cultural da capital do Estado do Maranhão.

Sem comentários: