26 julho 2007

ANTROPOLOGIA E SAÚDE MENTAL

UNIVERSIDADE DO PORTO

Instituto de Ciências Biomédicas

Objetivos

O objectivo da disciplina é o estudo antropológico da saúde mental, do ponto de vista da crítica cultural ou as relações entre saúde mental e cultura contemporânea. O trabalho da cadeira é especificamente orientado para a questão do terror, relevante nos estudos culturais sobre pós-modernismo, pós-humanismo e a morte do sujeito, mesmo antes da recente popularização dos temas do ‘terrorismo’ e da ‘guerra ao terror’. A disciplina relaciona a discussão cultural da paranoia, esquizofrenia e crise da representação, na literatura, arte e cinema, com a explicação do totalitarismo e do exercício do mal na filosofia de Hannah Arendt.

Programa

TERROR E SAÚDE MENTAL: PÓS-HUMANISMO NA CULTURA CONTEMPORÂNEA
As noções de paranoia e esquizofrenia têm sido largamente utilizadas, na crítica cultural contemporânea, como sintomas da fragmentação da esfera cultural pós-moderna, a mudança vertiginosa na cultura da tecnologia e do consumo e o desaparecimento de um sentido unificado do humano e da subjectividade. Por outro lado, paranoia e esquizofrenia são também frequentes referências críticas para a análise da sucessão entre o medo da destruição nuclear (ou o ‘equilíbrio do terror’), que dominou a época da Guerra Fria, e o medo do terrorismo, que domina, actualmente, a cultura pública e a sensibilidade. O terrorismo tem ainda conferido novo ímpeto à discussão sobre a natureza do mal, conforme se torna popular a persuasão mitológica de que esta é uma ‘época de terror’ e de ‘guerra ao terror’. Estas transformações são abordadas, nesta cadeira, do ponto de vista antropológico e da relação entre a saúde mental, práticas culturais, sistemas de representação simbólica e a crítica das visões totalizantes. O programa é constituído por duas subdivisões temáticas.

1. PARANOIA CULTURAL: CORPO, MENTE E ESPÍRITO
2. A VIDA DA MENTE E A BANALIDADE DO MAL
O primeiro tema trata das representações da paranoia na literatura, arte e cinema, nos últimos vinte anos, e a crítica das naturalizações do medo e da insegurança. Particular atenção é dada ao resgate da espiritualidade religiosa numa moral ‘pós-moderna’ baseada na desmaterialização do corpo. No segundo tema, as reflexões criticas que Hannah Arendt consagrou sobre ‘a vida da mente’ e ‘a banalidade do mal’ são abordada do ponto de vista da actualidade crítica destes conceitos para o debate sobre a saúde mental, as práticas e simbolizações do mal e a vulnerabilidade humana nos actos de terrorismo.


Bibliografia

Arendt, Hannah
1979-The Origins of Totalitarianism. San Diego e Nova Iorque: Harcourt.
1981-The Life of the Mind: The Groundbreaking Investigation on How We Think. San Diego e Nova Iorque: Harcourt.
1994-Eichman in Jerusalem: A Report on the Banality of Evil. Nova Iorque: Penguin.
1998-The Human Condition. Chicago: Chicago: University of Chicago Press.
2003-Responsability and Judgement. Nova Iorque: Schocken Books.
Berquist. Jon L. (ed.)
2002-Strike Terror No More: Theology, Ethics, and the New War. St.Louis, MO: Chalice Press.
Brown, David J. e Merrill, Robert (eds.)
1993-Violent Persuasions: The Politics and Imagery of Terrorism. Seattle: Bay Press.
Fernando, Suman e Campling, Jo (eds.)
2001-Mental Health, Race and Culture. Palgrave Macmillan.
Freeeland, Cynthia A.
2000-The Naked and the Undead: Evil and the Appeal of Horror. Boulden, Colorado: Westview Press.
Jameson, Fredric
2002-A Singular Modernity: Essay on the Ontology of the Present. Londres: Verso.
Lentriccchia, Frank e McAuliffe, Jody
2003-Crimes of Art + Terror. Chicago: University of Chicago Press.
Lingis, Alphonso
2002-Foreign Bodies. Londres e Nova Iorque: Routledge.
Newman, Kim (ed.)
2002-Science Fiction/Horror. A Sight and Sound Reader. Londres: British Film Institute.
O’Donnel, Patrick
2000-Latent Destinies: Cultural Paranoia and Contemporary U.S. Narrative. Durham, Carolina do Norte, e Londres: Duke University Press.
Pratt, Ray
2001-Projecting Paranoia: Conspirational Visions in American Film. University Press of Kansas.
Ross, Gina
2003-Beyond the Trauma Vortex: The Media’s Role in Healing Dear, Terror and Violence. North Atlantic Books.
Scanlan, Margaret
2001-Plotting Terror: Novelists and Terrorists in Contemporary Fiction. Charlottesville, Virgina, e Londres: University Press of Virginia.

Sem comentários: