05 agosto 2007

MESTRADO CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS
DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA E ANTROPOLOGIA
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS
DISCIPLINA: Memória Social e Patrimônio Cultural (Mestrado)
Carga Horária: 60 horas Créditos: 4 (quatro)

MEMÓRIA (SOCIAL) E PATRIMÔNIO (CULTURAL)

EMENTA:
Curso sobre as praticas sociais do patrimônio e da memória. Análise dos fundamentos históricos, científicos e políticos das práticas de preservação do patrimônio cultural e da memória social na sociedade moderna e contemporânea.

OBJETIVOS: Exame teórico centrados no tema do Patrimônio, da Memória, da Museologia e da Gestão Cultural considerando a emergência dos novos patrimônios na cena das políticas culturais. Tendo em vista que o tema invoca uma crescente transdisciplinaridade, propõem-se uma aproximação da Antropologia e da Etnologia com as diferentes disciplinas humanísticas, em busca de novos paradigmas. Através do debate sobre os fundamentos científicos e políticos das práticas de preservação do patrimônio e da memória coletiva, pretende-se discutir os obstáculos metodológicos e epistemológicos ainda presentes nos Estudos Culturais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO: Aprofundar o intercâmbio entre a Antropologia e as demais Ciências Humanas, em especial o estreitamento das relações da Etnologia e da História na área dos Estudos Culturais. O ponto de partida será o estudo das teorias da antropologia contemporânea, considerando as contribuições recentes de autores estrangeiros como K. Pomian, H. P. Jeudy, F. Choay, além de nacionais, como D. Ribeiro, G. Velho, J.R. Santos Gonçalves, entre outros. Num diálogo constante com os Clássicos, pretende-se reinterpretar a tradição antropológica e etnológica em busca de novos paradigmas e conceitos que dêem conta da complexidade dessa temática na sociedade atual.

Unidade I (20 horas): ASPECTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS
Objetivos: Exame teórico dos diálogos atuais centrados no tema do Patrimônio e da Memória.
1. Monumento Histórico e a Idéia de Patrimônio Histórico no Ocidente
2. Memória Coletiva, Memória Histórica e Memórias Sociais
3. Etnologia do Patrimônio e Semiologia
4. Instituição do Patrimônio no Ocidente e no Brasil
5. A Figura Jurídica do Tombamento: Municípios, Estados e União

Unidade II (20 horas): PATRIMÔNIO E MEMÓRIAS SOCIAIS
Objetivos: Uma aproximação da Antropologia e da Etnologia com as diferentes disciplinas humanísticas.
1. Patrimônio Cultural e Teoria dos Semióforos
2. Memórias e Identidades Sociais: etnicidade, racismo, etc.
3. Patrimônio Etnológico e Museu Etnográfico: o preservacionismo em questão

Unidade III (20 horas): POLÍTICA CULTURAL E GLOBALIZAÇÃO
Objetivos: Reinterpretar a tradição antropológica e etnológica em busca de novos paradigmas e conceitos que dêem conta da complexidade dessa temática na sociedade atual
1. Paradigma Holonômico: reintegração Natureza/Cultura
2. Novos Patrimônios: patrimônios bio-culturais e intangíveis
3. Política Civilizatória: Teatro das Memórias Naturais e Sociais

Procedimentos de ensino:
a) Aulas expositivas; b) Estudos de textos (individualmente e/ou grupo); c) Debates e seminários.

Critérios de avaliação:
Serão exigidos 2 fichamentos de textos por Unidade, 1 trabalho final escrito, 1 seminário dirigido e participação nos debates em sala de aula. Eventualmente será indicado a participação em atividades culturais e artísticas extra-classe: filmes, exposições, vídeos, seminários, cursos, palestras, etc.

Bibliografia:

ANDERSON, Benedict. “Introduction”. Imagined Communities. London, Verso, 1983.
ANDRADE, Mário de. Cartas de trabalho. Brasília: MEC/SPHAN/Pró-Memória, 1981
___. Sociedade de etnografia e folclore. Prefeitura SP (1936-39). São Paulo: SMC, 1983
___. Revista do Patrimônio. N. 30. IPHAN. MINC. 2002
APPADURAI, Arjun. “The past as a scarce resource”. In: Man, 16 (2), 1982.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA. Antropologia e pat rimônio cultural: diálogos e desafios contemporâneos. (orgs.) Manuel F. Lima Filho, Jane F. Beltrão, Cornelia Eckert. – Blumenau: Nova Letra, 2007
BACK, Les. New ethnicities and urban culture. Racisms and multiculture in young lives. New York, St. Martin’s Press, 1996
BALANDIER, Georges. ANTROPO-LÓGICAS. São Paulo: Cultrix/USP. 1976
BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. Lisboa: Relógio D´Água, 1991
___. A transparência do mal. Ed: Papirus. São Paulo. 1992
___. Tela total. Porto Alegre: Sulina, 2005.
BENS MÓVEIS E IMÓVEIS INSCRITOS NOS LIVROS DO TOMBO DO IPHAN / Ministério da Cultura, IPHAN. – 4° ed. Rev. e ampl. – Rio de Janeiro, IPHAN, 1994
BERNARDO, Terezinha. Memória em branco e negro. São Paulo: Educ/Unesp/Fapesp. 1998
BRAUDEL, Fernand. História e ciências sociais. Lisboa: Presença. S/D
BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992
BOSI, Ecléa. Memória e sociedade. São Paulo: Companhia das Letras. 1994
CANCLINI, Nestor G. Consumidores e cidadãos. Rio de Janeiro: EDUFRJ. 1999
___. Culturas híbridas. São Paulo, Edusp, 2003
CANCLINI, Nestor García. Diferentes, desiguais e desconectados. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 2007.
CANEVACCI, Massimo. Sincretismos: uma exploração das hibridações culturais. São Paulo: Studio Nobel, 1996.
CARTAS PATRIMONIAIS. Cadernos n 3. Brasília: MINC/IPHAN. 1995
CARVALHO, Edgar A. Patrimônio cultural e ética da resistência. Depart. de Antropologia. PUC/SP. S/D.
CHAUÍ, Marilena. Brasil. São Paulo: Perseu Abramo. 2000
CHOAY, Françoise. L’allégorie du patrimoine. Paris: Seuil. 1992
CHUVA, Márcia (Org.) A invenção do patrimônio. Rio de Janeiro: Minc/IPHAN. 1995
COELHO, Teixeira. Dicionário crítico de política cultural. São Paulo: Iluminuras. 1999
CORRÊA, Alexandre F. Vilas, parques, bairros e terreiros (Patrimônios Bioculturais): novos patrimônios na cena das políticas culturais de São Luís e São Paulo. São Luís: EDUFMA. 2003
___. Museu mefistofélico: significado cultural do tombamento do museu de Magia Negra, primeiro patrimônio etnográfico do Brasil (1938). Rio de Janeiro. Relatório de Estágio de Pós-Doutorado. UFRJ. 2006.
COUTINHO, Carlos Nelson. Cultura e sociedade no Brasil. Rio de Janeiro: DP&ªA. 2000
CUNHA, Euclides da. Os sertões. São Paulo: Nova Cultural. 2003
DUMONT, Luis. O individualismo. Rio de Janeiro: Rocco. 1985
EAGLETON, Terry. Depois da teoria. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.
___. A idéias de cultura. São Paulo: UNESP, 2005.
FOUCAULT, Michel. Genealogia del racismo. Buenos Aires: Altamira. S/D
___. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes. 1992
___. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes: 1999
FREYRE, Gilberto. Ordem & Progresso. Rio de Janeiro: José Olympio. 1974
GELLNER, Ernest. Nacionalismo e democracia. Brasília: UNB. 1981
___. Cultura, limite e comunidade, In, Antropologia e política. Rio de Janeiro: Zahar, 1997
GOFFMAN, Erving. Estigma. Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. RJ, Guanabara, 1988.
GONÇALVES, José R. S. A retórica da perda. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; IPHAN, 1996
GRUZINSKI, Serge. La guerra de las Imágenes: de Cristóbal Colón a "Blade Runner" (1492-2019). México: FCE, 1995.
___. A guerra das imagens. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.
GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. Rio de Janeiro: 34. 1992.
HALBWACHS, M. Les cadres sociaux de la mémoire. Paris: Presses Universitaires de France. 1925
___. A memória coletiva. São Paulo: Vértice. 1990
HOBSBAWM, Eric. “Introdução: A Invenção das Tradições”. In: HOBSBAWN, E. e
RANGER, T. (org.). A Invenção das Tradições. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1984.
INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Cartas Patrimoniais. Ministério da Cultura. Brasília: IPHAN. 1995
JAMESON, Fredric.
JAMESON, Fredric. A cultura do dinheiro: ensaios sobre a globalização. Petrópolis: Vozes, 2001.
JEUDY, Henri-Pierre. Memórias do social. Rio de Janeiro: Forense. 1990a
___. Patrimoines en folie. Paris: Maison des Sciences de l'Homme. 1990b
___. A sociedade transbordante. Lisboa: XXI. 1995
___. Espelho das cidades. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2005.
LEMOS, Carlos A. C. O que é patrimônio histórico? São Paulo: Brasiliense. 1987
MAGALHÃES, Aloísio. E Triunfo? Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 1997
MAUSS, Marcel. Sociología e antropología. São Paulo: EDUSP. 1974
MENESES, U.T.B. de. A história cativa da memória? Revista do Instituto de Estudos Brasileiros (São Paulo), n.34, p.9-24,1992.
MERLEAU-PONTY, Maurice. Textos escolhidos. São Paulo: Abril Cultral. 1984.
MISSION PATRIMOINE ETHNOLOGIQUE FRANCE. Ministère de la Culture et de la Francophonie, 1993
MORIN, Edgar. Terra-pátria. Porto Alegre: Sulina. 1995
___. A religação dos saberes.Rio de Janeiro: Bertrand. 2001
MOTTA, Roberto M. C. & JEUDY, H. P. Sincretismo Cultural e Políticas do Patrimônio. Projeto de Pesquisa. Recife: CNPQ. 1993
NORA, P. Entre memória e história. In, Revista do Depart. de História da PUC/SP. 1981
OLIVEIRA, Isabel Cristina Eiras de. Estatuto da cidade: para compreender. Rio de Janeiro: IBAM/DUMA, 2001
ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense. 1994
ORTIZ, Renato. Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Brasiliense, 2006.
PATRIMÔNIO CULTURAL PAULISTA 1968-98. São Paulo: Imprensa Oficial 1998
PATRIMÔNIO IMATERIAL. Estratégias e formas de proteção. GTPI. MinC. Brasília. 1998
POLLAK, Michael. “Memória e identidade social”. In: Estudos Históricos, 5 (10). Rio de Janeiro, 1992.
___. “Memória, Esquecimento, Silêncio. In: Estudos Históricos, 2 (3). Rio de Janeiro, 1989.
PRIGOGINE, Ilya. O FIM DAS CERTEZAS. São Paulo: UNESP, 1996.
PROUST, Marcel. Em busca do tempo perdido. Vol. I. RJ, Ediouro, 1992.
POMIAN, Krzysztof. Coleção. In, Enciclopédia Einaud. Porto: Imprensa Nacional. 1984
___. Collectionneurs, amateurs et curieux. Paris: Gallimard (Arte - Europa) 1987
___. Musée et Patrimoines. Apud, Jeudy 1990b: 177-98. Paris. 1990
POUTIGNAT, Philippe. Teorias da etnicidade. São Paulo: UNESP. 1998
REVISTA DO ICOMOS-BRASIL. Aspectos Urbanos, Históricos e Legais da Preservação no Brasil. São Paulo. 1998
REVISTA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Ns. 19-20-22-24-25-26. SPHAN. Rio de Janeiro. 1984-95
RIBEIRO, Darcy. O processo civilizatório. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1975
___. O povo brasileiro. São Paulo: Companhia das Letras. 1995
RODRIGUES, José Carlos. Ensaios em antropologia do poder. Rio de Janeiro: Terra Nova. 1991
RODRIGUES, Marly. Imagens do passado 1969-87. São Paulo: UNESP. 2000
SÃO PAULO (Cidade). Secretaria Municipal de Cultura. O Direito à Memória. DPH. São Paulo: DPH, 1992
SANTOS, Boaventura de Souza. A globalização e as ciências sociais. São Paulo: Cortez. 2002
___. Pela mão de alice: o social e o político na pós-modernidade. Porto: Afrontamento. 8a. Edição. 2002
SANTOS, Mariza V. M. O tecido do tempo. Tese Doutorado. PPAS/DA/ICH/UNB. Brasília. 1992
SILVA. Arquivos, patrimônio e memória. São Paulo: Unesp. 1999.
SLOTERDIJK, Peter. Regras para o parque humano. São Paulo: Estação Liberdade. 2000.
SOARES, A. (org.). Tempo e História. São Paulo, Companhia das Letras: Secretaria Municipal de Cultura, 1994.
SOUZA, Maria Adélia A. de... [et al.]. Metrópole e globalização. São Paulo: CEDESP. 1999
TEXTOS ESCOLHIDOS. W. Benjamin, M. Horkheimer, T. W. Adorno, J. Habermas. São Paulo: Abril Cultural. 1980
THOMPSON, Paul. A Voz do Passado. História Oral. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.
VERNANT, Jean-Pierre. “Aspectos míticos da memória e do tempo”. In: Mito e Pensamento entre os gregos. SP, Difel/Edusp, 1973.
WEBER, M. “Las comunidades políticas”. In: Economia Y Sociedad. México, Fondo de Cultura Econômica, 1944.

DISCIPLINA: MEMÓRIA E DIENTIDADE SOCIAL (Mestrado)
Carga Horária: 60 horas Créditos: 4 (quatro) Código:

MEMÓRIA E DIENTIDADE SOCIAL

Ementa:
O curso se propõe a desenvolver o tema da memória e da construção das identidades sociais na área das Ciências Sociais. Enfoque sócio-antropológico sobre a questão da identidade a partir da etnicidade, gênero, cultura e nacionalismo. Abrange estudos centrados sobre a relação memória e identidade, formações subjetivas, memórias institucionais, história oral e documento oral.

Bibliografia

ANDERSON, Benedict. “Introduction”. Imagined Communities. London, Verso, 1983.
APPADURAI, Arjun. “The past as a scarce resource”. In: Man, 16 (2), 1982.
BACK, Les. New ethnicities and urban culture. Racisms and multiculture in young lives. New York, St. Martin’s Press, 1996.
BARTH, Fredrik. “Introdution”. In: Ethnic Groups and Boundaries: The social organization of cultural difference. F. Barth (editor). George Allen & Unwin. London. 1969.
___. “The analysis of culture in complex societies”. Ethnos 54 (3/4): 120-142. 1989.
BOSI, Ecléa. Memória e sociedade. São Paulo, T.A. Queiroz: Editora da Universidade de São Paulo, 1987.
BRIGGS, Asa. The collected essays of Asa Briggs. Vol. I. Words, Numbers, Places, People. Great Britain, The Harvester Press Limited, 1985.
CANCLINI, Néstor. Culturas híbridas. São Paulo, Edusp, 1998.
COHEN, A. P. The symbolic construction of community. London, Tavistock, 1985.
CONFERÊNCIA internacional “A construção do tempo e os futuros possíveis”, realizada de 10 a 12 de maio de 1999, na Universidade Candido Mendes, RJ.
CONNERTON, Paul. How societies remember. Cambridge University Press, 1989.
GOFFMAN, Erving. Estigma. Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. RJ, Guanabara, 1988.
HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. SP, Vértice, 1990.
HANNERZ, Ulf. Cultural Complexity. Columbia University Press. New York. 1992.
HOBSBAWM, Eric. “Introdução: A Invenção das Tradições”. In: HOBSBAWN, E. e
RANGER, T. (org.). A Invenção das Tradições. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1984.
LIMA, Antonio Carlos de Souza e VIANNA, Adriana de Resende Barreto. “História, Antropologia e relações de poder – algumas considerações em torno de saberes e fazeres sobre o social”. In: MALERBA, Jurandir (org.). A velha História. Teoria, Método e Historiografia. SP, Papirus, 1996.
NORA, Pierre. Les lieux de Mémoire. Paris, Gallimard, 1984.
ORLANDI, Eni P. Análise do discurso. Campinas, Pontes, 1999.
PEEL, J. “Making history: the past in the Ijesha Presente”. In: Man, 19, 1984.
POLLAK, Michael. “Memória e identidade social”. In: Estudos Históricos, 5 (10).
Rio de Janeiro, 1992.
___. “Memória, Esquecimento, Silêncio. In: Estudos Históricos, 2 (3). Rio de Janeiro, 1989.
PROUST, Marcel. Em busca do tempo perdido. Vol. I. RJ, Ediouro, 1992.
SIMMEL, G. Conflit. The web of Group-Affiliations. London, Collier- MacMillan, 1955.
SOARES, A. (org.). Tempo e História. São Paulo, Companhia das Letras: Secretaria Municipal de Cultura, 1994.
THOMPSON, Paul. A Voz do Passado. História Oral. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1978.
VERNANT, Jean-Pierre. “Aspectos míticos da memória e do tempo”. In: Mito e Pensamento entre os gregos. SP, Difel/Edusp, 1973.
WEBER, M. “Las comunidades políticas”. In: Economia Y Sociedad. México, Fondo de Cultura Econômica, 1944.