16 julho 2009

Festa do Dia da Bastilha: Mais de 300 carros são queimados na França


14/07/09 - 05h18 - Atualizado em 14/07/09 - 14h23

Polícia deteve 240 pessoas por diversos incidentes.
Dez mil policiais foram mobilizados para garantir a segurança nas ruas.
Pelo menos 317 carros foram queimados entre a noite de segunda-feira (13) e a madrugada desta terça (14), na França, que já comemora a Festa Nacional de 14 de Julho, o Dia da Bastilha, informou a direção Geral da Polícia Nacional (DGPN).
Nos últimos anos, houve distúrbios em todo o país. A cifra registrada em 2009 reflete um aumento de 6,73% frente ao balanço do ano passado, quando 297 veículos foram queimados entre os dias 13 e 14 de julho.
240 detidos

Ao longo da noite, a polícia deteve 240 pessoas por diversos incidentes.

Como sempre, o ministério francês do Interior montou um esquema especial de segurança para a data da Festa Nacional e sua véspera. Entretanto, o responsável pela pasta, Brice Hortefeux, disse que as medidas tomadas para 2009 são "sem precedentes".
Segundo ele, dez mil policiais foram mobilizados para garantir a segurança durante os diversos festejos e cerimônias oficiais convocados na França por ocasião do 14 de julho.
Desse efetivo, cerca de 3.500 agentes vigiarão o principal ato da data, o desfile militar desta terça, em Paris, que será liderado pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy.

Soldados indianos lideram desfile de 14 de julho na França

Paris, 14 jul (EFE).- Cerca de 400 soldados indianos lideraram hoje o tradicional desfile de 14 de julho que percorreu o Champs-Elysées, em Paris, perante o chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy, e seu convidado de honra este ano, o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh.
Oficiais, suboficiais e soldados do Exército, da Marinha e da Aeronáutica da Índia abriram a cerimônia mais tradicional da Festa Nacional da França, em um gesto com o qual o país quis ressaltar a "associação estratégica" que o une à Índia desde 1998.
Sarkozy e sua esposa, Carla Bruni, acompanharam a cerimônia na tribuna presidencial acompanhados do primeiro-ministro da Índia e de outras autoridades, como o primeiro-ministro cambojano, Hun Sen; o presidente alemão, Horst Köhler; e o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jaap de Hoop Scheffer.
É a primeira vez que um responsável da Aliança Atlântica assiste ao desfile da Festa Nacional da França desde 1967, ano em que o país deixou o comando militar da Otan, à qual se reintegrou este ano.
Após o desfile, Sarkozy teve um almoço de trabalho com Singh, antes da tradicional recepção de 14 de julho nos jardins do Palácio do Eliseu, onde este ano, e devido à crise econômica, o número de convidados foi reduzido a cerca de 5 mil pessoas, um terço a menos que no ano passado.
O programa oficial da Festa Nacional terminará esta noite com os tradicionais fogos de artifício perante a Torre Eiffel e com um show gratuito do cantor Johnny Hallyday.
http://noticias.uol.com.br/ultnot/efe/2009/07/14/ult1808u143480.jhtm

A queda da Bastilha

No dia 14 de julho de 1789 o povo de París saiu às ruas para protestar contra o regime monárquico opressor. Os populares invadiram a Bastilha, fortaleza que simbolizava o Absolutismo real, libertaram presos e derrubaram o prédio. O fato simboliza o início da Revolução Francesa.

1789 - Populares organizam uma revolta e derrubam a Bastilha, em Paris. O fato é o início simbólico da Revolução Francesa.
1816 - Morre Francisco de Miranda, precurssor da independência da Venezuela.
1881 - É assassinado o legendário pistoleiro norte-americano Billy "El Niño".
1893 - O general José Santos Zelaya se proclama ditador da Nicarágua.
1918 - Nasce Ingmar Bergman, diretor sueco de cinema e teatro.
1928 - Nasce o guerrilheiro Ernesto Che Guevara.
1958 - Em uma revolução no Iraque, é assassinado o rei Faisal II. A morte do monarca foi o ápice de um golpe de Estado dirigido por Karim Kassem.
1965 - A Junta Militar do Equador impõe a lei marcial em Guaiaquil. Estudantes do país promovem revoltas contra a imposição.
1972 - Morre o escritor mexicano Emílio Abreu Gómez.
1979 - É aprovada uma nova constituição no Peru. O documento propunha uma democratização imediata do país.
1982 - Termina a guerra entre Argentina e Reino Unido pelas Ilhas Malvinas. O conflito foi encerrado após a rendição do exército argentino.
1990 - É eleito o novo Secretariado do Partido Comunista da URSS, liderado por Mijail Gorbachov.
1997 - Milhões de pessoas saem às ruas da Espanha para protestar contra a violência do grupo separatista ETA. Os terroristas haviam assassinado o conselheiro Miguel Angel Blanco. Foi a maior manifestação popular já registrada no país.
1998 - Morre Richard McDonald, empresário norte-americano que criou a rede de restaurantes Mc Donald's, a maior do mundo.
1999 - Argentina e Reino Unido firmam, em Londres, um acordo que permite o acesso de argentinos às Ilhas Malvinas. Este foi um grande passo para a normalização das relações entre os dois países, que se enfrentavam desde a década de 80 pela soberania do arquipélago.
2000 - Um júri de Miami autoriza o pagamento de uma indenização milionária a fumantes da Flórida por parte das fabricantes de cigarro. A sentença obribava os fabricantes a pagar US$ 145 milhões aos fumantes lesados pelo uso do cigarro. As indústrias tabagistas recorreram.

Redação Terra

Sem comentários: